Post Top Ad

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Todas as dicas sobre Valência.

Como chegar?
Eu cheguei de avião, há voos diários directos a partir do Portugal, mas dada a proximidade podem também chegar de carro com cerca de 1 dia de viagem - pode ser uma boa opção se viajarem com tempo e vontade de explorar a região. Vindos de outra cidade espanhola, a opção comboio ou autocarro também é válida e prática, Valência está bem servida de transportes inter-regionais.
Onde se alojar?
Há três zonas principais onde se podem alojar em Valência, dependendo do estilo de viagem que pretendem fazer. Se forem no Verão, a zona das praias, junto ao Mediterrâneo está repleta de opções de hotéis de todas as gamas e para todas as carteiras, para fazer praia é - sem dúvida - a melhor opção. Para mim não há nada pior do que não poder ir para a praia a pé, perco logo a vontade. Caso viagem no Inverno/Outono/Primavera o centro da cidade é uma óptima opção, é lá que tudo acontece, estarão pertinho de tudo e as principais estações de comboio e autocarro, que vos permitem fazer uns passeios para fora da cidade também são nesta região. Por último, há sempre a opção de se alojarem nos arredores. Normalmente não é uma opção que pondere, mas desta vez foi a ideal para mim. Tem a desvantagem de terem de apanhar transportes para ir a qualquer lado, mas como cheguei bem tarde na sexta à noite, e ia só ficar duas noites optei por ficar bem perto do aeroporto no IBIS Budget Valencia Aeropuerto. Os pontos fortes desta opção são a proximidade ao aeroporto (1 paragem de metro), o preço do alojamento (normalmente muito mais barato que qualquer das opções anteriores), a facilidade em estacionar sem arrombar o orçamento das férias (podem ser boa opção para quem vem de carro e também estará só um dia ou dois na cidade de passagem), e ainda o facto de estar a 300 metros de uma estação de metro que em 15 minutos estava no centro da cidade. Se optarem pela opção de ficar nos arredores, certifiquem-se que têm bons acessos à cidade, senão tudo será um problema. 
     
hotel Ibis onde fiquei foi uma óptima opção, segue aquele padrão clássico da cadeia, quarto básico mas limpinho e com casa de banho, sem luxos mas com a comodidade que precisam para uma noite descansada. Fiz a minha reserva através do Booking e como sempre correu tudo sem problemas. Podem consultar este post com todas as dicas para fazerem uma pesquisa bem sucedida e encontrarem o vosso hotel ideal aqui, ou reservar este mesmo hotel na página do Booking online.
(Se finalizarem alguma reserva através dos links fornecidos neste blogue ou dos banners disponibilizados na barra lateral, vocês não pagam nada mais por isso e estarão a fazer uma pequena contribuição para a manutenção deste espaço, Obrigada!)

Como se movimentar?
A linha de metro da cidade não é a melhor de sempre porque não achei que servisse muito bem a zona da Cidade das Artes e das Ciências, o que me parece um ponto bastante negativo, mas para tudo o resto foi perfeito para mim. Estava mesmo ao lado do hotel, havia paragens perto do centro (Xátiva e Colón), perto da estação de comboios de alta-velocidade e ia quase até à praia, onde fazia ligação ao tram que percorre a zona costeira. Conveniente e fácil de usar. Depois de analisar bem o tipo de bilhes disponíveis acabei por comprar um cartão TuiN, em que se carrega dinheiro (mínimo 10 euros) que depois vai sendo descontado a cada viagem. Para 48 horas na cidade ainda me sobraram uns trocos no cartão. Pode ser comprado logo no aeroporto ou em qualquer outra máquina de estação e o preço da viagem varia entre 0.72 euros para viagens de zon 1, as mais baratas, ou 2 euros para viagens até ao aeroporto, as mais caras. Pode ser usado em toda a rede de metro e tram e pareceu uma opção bem fixe. Podem ver mais detalhes aqui.

O que comer?
Estamos em Espanha e portanto não podem fugir a umas belas cañas y tapas. Há de tudo o que podem imaginar mas não deixem passar una tortilha, jamón, unas setas, gambas al ajillo, enfim, até me deu água na boca só de pensar. 
Outro clássico que eu adoro e nunca dispenso é um desayuno, gente, pão com azeite e tomate é muuuuito bom, não percebo porque é que nós não tivemos a mesma ideia. Os churros com chocolate quente dispenso, mas vocês ataquem à vontade.
E o mais regional de tudo, o famoso arroz à Valenciana, conhecido em todo o mundo como Paella.
          
O que visitar? 
(clicar nos links para informações mais detalhadas)
Já tenho no blogue imensos posts sobre esta zona de Espanha. Em relação a Valência, há três zonas distintas que podem (e devem) conhecer: o centro histórico, a cidade das Artes e das Ciências e a zona junto ao mar.
Se estiverem com tempo e com vontade de conhecer mais para além da cidade, recomendo uma visita de 1 dia a Cuenca (roteiro e logística da viagem) ou uma escapadinha à região da Costa Blanca, cerca de 150 km a sul de Valência, entre Alicante e Benidorm, com praias magníficas, óptimo para passeios de barcovilas simpáticas e cidades bem interessantes.
10:54 / by / 0 Comments

Sem comentários:

Post Top Ad