Post Top Ad

terça-feira, 14 de março de 2017

Roteiro de 3 dias em Londres!

Não, infelizmente não estive em Londres nestes últimos tempos. A primeira vez que visitei a cidade foi em 2002, no final de semana de um curso de quinze dias de inglês que fiz nos arredores da cidade. Sinceramente nem me lembro do nome do campus onde ficamos alojados, mas o curso era ministrado pela International House e foi bem fixe. Em 2005 voltei numa visita de estudo. Em 2009 em família e finalmente em 2012 com os meus amigos - há dois posts desta última viagem aqui e aqui!. Estou com imensa vontade de voltar, se tudo correr bem pode ser que ainda seja este ano :)
Mas então este post surgiu como? Porque há sempre um amigo aqui ou acolá que está de partida para Londres, e mais uma vez me pediram um roteiro da cidade. Portanto já que tive de pôr em prática os meus dotes de conselheira de viagens, partilho a informação convosco também.
Então é assim, porquê três dias?
É preciso escolher um número, certo? E não sendo o ideal para ficar a dominar todos os cantos da cidade, penso que é o ideal para ficar com uma ideia bastante boa das diferentes zonas da cidade.
Conseguem conhecer o mais importante em menos tempo? Sim
Não era melhor ficar por lá mais uns dias para conhecer melhor a cidade? Claro que sim.
Mas não havendo outra opção, 3 dias serão, cada um para uma das três zonas indispensáveis da cidade.
Dia 1 - O centro da cidade
É um clássico, um clichê, mas não há como escapar dele. Sugiro que comecem o dia em South Bank, bem ao lado do London Eye e mesmo em frente às Casas do Parlamento e ao Big Ben. Nem aqueles que têm a mania que não gostam de sítios demasiado turísticos vão conseguir escapar a esta vista para mais uma fotografia.

Se o dia estiver bonito, vale muito a pena fazer uma voltinha no London Eye, a vista de lá de cima vale a pena. (Podem comprar bilhetes para o London Eye e para uma série de outras atracções na cidade, com antecedência pela internet para evitar filas à chegada, disponível aqui!) Depois desta primeira panorâmica, atravessem a ponte mesmo em frente ao Big Ben para começar o roteiro dos clássicos. Mesmo em frente ao Parlamento fica a abadia de Westminster, casaram lá os Duques de Cambridge (aka William and Kate) e podem ver ainda os túmulos de alguns ilustres "pouco desconhecidos" como Newton, Darwin ou Dickens.
Daqui é começar a subir a White Hall até Trafalgar Square, com um paradinha para uma fotografia em frente (de esguelha que a segurança já não permite ir à frente) ao número 10 de Downing Street (a residência oficial do Primeiro Ministro Britânico).

Chegados a Trafalgar Square sugiro que entrem na National Gallery, mesmo que não sejam grandes fãs de pintura - e já que a entrada não é paga - vale a pena ir espreitar pelo menos os Girassóis do Van Gogh. Daqui atravessem o The Mall até ao Buckingham Palace. Se tiverem começado o passeio cedinho e não tiverem visitado nada por dentro pelo caminho, certamente estarão aqui a tempo de ver o render da guarda às 11h da manhã. Mas sinceramente, eu acho que não vale a pena. Achei uma desilusão, e se no Verão ainda dá para tirar umas fotografias giras aos soldadinhos que mais parecem de chumbo, no inverno andam todos com um sobretudo cinzento que nem graça tem.
Daqui sugiro que atravessem o Hyde Park, porque nenhuma visita a Londres está completa sem passar por lá, até à zona do Speakers Corner e do Marble Arch.

Vão chegar a uma das extremidades da Oxford Street, talvez a rua comercial mais famosa da cidade. Façam-na a pé até Oxford Circus, sem problemas de entrar nas lojas fixes que vão ver pelo caminho. Desçam a Regent Street até Picadilly, apontando para chegar aqui ao lusco-fusco já que os neons ganham outro destaque que vale a pena ver. Esta zona está cheia de teatros e salas de cinema, ao fim do dia a Leicester Square também fervilha de gente, passem por aqui até chegar a Covent Garden e percam o amor a umas quantas libras para jantar num sítio fixe nesta região ou mesmo ao ladinho em Soho.
Dia 2 - A city e o east-end
Este já foi o coração da cidade de Londres e ainda hoje é uma zona muito importante da cidade e o seu centro financeiro.
Comecem o dia na zona do Banco de Inglaterra, vão até à Catedral de São Paulo, onde o Príncipe Carlos e a Lady Di casaram nos idos anos de mil novecentos e troca o passo, curtam o movimento da cidade e depois dirijam-se até à zona do rio.Bem na frente da Catedral fica a Millenium Bridge, uma ponte pedonal que atravessa para o outro lado do Tamisa, onde vão encontrar a Tate Modern. Se gostam de arte Moderna este é o museu em que devem entrar, se não gostam lá muito - ou acham só esquisito, como eu! - entrem na mesma só para espreitar, já que é gratuito, a loja vale a pena e sempre podem dar uma espreitadela às maluqueiras que há lá dentro, já vi de tudo!
Depois da visita à Tate, continuem ao longo do rio para este, vão passar pelo Borough Market, por uma série de novos edifícios modernos em vidro e grandes torres, esta zona cresceu bastante nos últimos anos, e eu também estou com vontade de voltar e explorá-la melhor. 
Continuando ao longo do rio vão dar de caras com a famosa Tower Bridge. É um clássico e não dispensa uma (ou dezenas!) de fotografias, eu estive aqui muito tempo para tirar a fotografia perfeita, com direito a autocarro vermelho a atravessar e tudo.
Cruzem a Tower Bridge e do outro lado encontram a famosa Torre de Londres, é aqui que estão as jóias da coroa inglesa expostas, já passei várias vezes pelo exterior, mas confesso que nunca entrei, não se se vale a pena ou não.
Posso dizer-vos que o bilhete é bem carinho e podem comprá-lo com antecedência aqui. É aqui que encontram os famosos guardas beefeaters.
Quando tiverem explorado bem esta zona, voltem a afastar-se do rio, desta vez em direcção a norte ao east-end. A zona de Liverpool Street e de Spitalfields já foi o centro da cidade, da foi a zona mais degradada da cidade, quando passou a ser mais chique morar perto dos parques da cidade e do Buckingham Palace, mas nos últimos anos começou a ficar de novo na moda, começou a ser revitalizada e é trendy andar por lá. Tem alguns mercados de rua e um ambiente muito multicultural.
Este dia, principalmente se não perderem grande tempo na Tate Modern ou a entrar na Torre de Londres, não deve acabar muito tarde. A meio da tarde é provável que estejam despachados, sugiro que escolham um museu para visitar por dentro noutra zona da cidade. Há imensas opções populares, duas delas, e num registo completamente diferente são:
- Museu de Cera Madame Tussauds: Sinceramente nunca seria a minha escolha, já lá estive, é engraçado, mas não pretendo voltar. É bastante caro e não é de todo o que eu procuro numa viagem, mas é tããão procurado que os outros viajantes alguma coisa vêem nele, por isso não poderia deixar de referir aqui.
- British Museum: é um prato cheio para quem gosta de história e arqueologia. Tem tudo que é calhau antigo e que os ingleses gamaram por esse mundo fora. Para além da secção das múmias, o destaque vai para os frisos do Pártenon em Atenas ou a pedra da roseta. Tem um big plus, tal como todos os museus públicos da cidade, é gratuito.
Dia 3 - Royal Borough of Chelsea and Kensington
Este é a zona mais fancy da cidade, dos parques, das grandes casas, e onde a Princesa Kate vai às compras, já dediquei em tempos um post só a ele, após a última viagem que fiz a Londres, em que passei mais tempo por lá. Podem vê-lo aqui.
Sugiro que comecem este dia em Portobello Road, Notting Hill, é ao sábado de manhã que decorre o famoso mercado que virou moda depois do filme homónimo, mas nos outros dias da semana também há muitas lojinhas simpáticas por aqui, bem como as típicas casas (e portas!) coloridas, ou a livraria onde foi gravado o filme. De seguida atravessem os Kesington Gardens, passem pelo palácio (residência oficial dos Duques de Cambridge) e pelo museu Serpentine até à zona de Knightsbridge, onde vão encontrar três museus super conhecidos. O Museu da Ciência, o Museu da História Natural e o Museu Victoria e Alberto. São todos gratuitos e se gostam desta coisas podiam passar aqui três dias (ou quase!), sugiro que entrem em todos para dar uma espreitadela no que está em exposição e escolham aquilo que querem ver.
O da Ciência é óptimo para geeks, e o dinossauro do Átrio do Museu da História Natural também é imperdível. Quando estverem farto de museus, podem passear um pouco pela zona, ir até Sloane Square e regressar de novo em direcção ao Harrods. Provavelmente não terão orçamento para comprar nada aqui, mas vale a pena entrar e conhecer uma das lojas de departamento mais famosas do mundo por dentro, é muito incrível. Não percam a zona da alimentação. Nunca vi frutas e mariscos tão bonitos e tão grandes!
Se curtiram os museus à grande, provavelmente isto vai ser o fim do vosso dia, se apenas entraram e saíram é possível que acabem as visitas mais cedo, aqui sugiro que voltem ao centro, à zona onde estiveram no primeiro dia, procurem um pub com ar porreiro e mandem-se a um fish and chips.
Este post já vai mais que longo, portanto é hora de terminar por aqui. Para completar o trabalho, prometo que nos próximos dias escrevo um com todas as dicas práticas sobre deslocações, transportes, aeroportos e acessos à cidade e ainda outro sobre os passeios mais fixes para fazer num dia bate-volta nos arredores da cidade. Stay tuned!

Mais posts sobre Londres já disponíveis aqui:
Dicas práticas, tudo o que precisam saber sobre aeroporto, transportes, alojamento e alimentação.
Passeios bate-volta nos arredores da cidade.
11:18 / by / 1 Comments

1 comentário:

Tulipa Negra disse...

É uma das cidades que mais me fascina, no entanto nunca a visitei. Por agora é mesmo só um amor platónico =)

Post Top Ad