Post Top Ad

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Aeroporto de Memmingen (Munique) e alugar carro na Baviera! Todas as dicas.

Eu sou fã de carteirinha da Ryanair, já devem ter percebido isso, mas é evidente que a companhia tem vários inconvenientes, que podem tornar uma viagem muito desagradável se não formos preparados para eles, e um deles é o facto de alguns aeroportos ficaram onde o diabo perdeu as botas.
Um desses casos é o aeroporto de Munique, que de Munique só tem mesmo o nome (nem isso!), que fica a cerca de 100 km, na cidade de Memmingen.
Para que não cheguem lá já escuro, como nós, e se apercebam no local que não conseguem chegar a Munique apanhando um táxi até à cidade (bem, conseguem sempre, mas podem arruinar o orçamento das férias!) deixo-vos aqui todas as informações que precisam para se safar lá dentro e dali para fora.
Aeroporto de Memmingen: entra naquela categoria de apeadeiro de aviões, super pequeno, daqueles em que o painel das partidas/chegadas mostra os voos todos do dia e ainda sobra espaço. Nós chegamos lá por volta das 18h30, no regresso, e o único voo que falta naquele dia era o da Ryanair que vinha para o Porto, portanto não têm como se confundir muito lá dentro. Antes de passarem pelo controle de bagagem têm uma sala de espera, um cafezinho bem simples e muitas agências de rent-a-car. Depois do controle de bagagem têm o mesmo cafezinho, uma lojinha de dutty free e outra sala de espera. Simples e eficaz, não tem o que enganar. Supostamente há wi-fi gratuito em todo o lado, mas o seu funcionamento não é lá grandes coisas, dava nuns telefones, noutros não, primeiro dava, depois não dava. Melhor não levarem muitas ilusões.
Em relação aos transportes de/para Munique, podem, então optar por:
Autocarro - É a forma mais barata de viajar até Munique. Há autocarros após todos os voos de chegada e antes de todos os voos de partida que ligam a estação de comboios no centro de Munique (Hauptbahnhof) até ao aeroporto de Memmingen, não tem o que enganar. A viagem dura cerca de 1h20 por autoestrada e podem comprar os bilhetes no local ou com antecedência aqui.
Comboio - Esta opção é mais cara, e não é directa, mas para quem não gosta mesmo de fazer longas viagens de autocarro, há comboios que ligam a Hauptbahnhof em Munique à cidade de Memmingen, daqui já podem apanhar um táxi até ao aeroporto ou um autocarro dos transportes públicos da cidade que passe no aeroporto. Vão acabar por perder mais tempo em trocas, mas tem sempre a vantagem de poderem sair um pouco mais cedo e conhecer a cidade de Memmingen.
Automóvel - Não é a forma mais barata, mas é possivelmente uma das mais práticas e que vai facilitar toda a viagem. Foi aquela que nós escolhemos, portanto darei todos os detalhes!
A escolha e marcação do aluguer do carro foi feita online, pesquisamos na rentalcars.com e acabamos por escolher a opção que nos agradava mais. Ligamos para a agência em Portugal, a confirmar tudo, parecia tudo sobre rodas. A companhia era do grupo Hertz e foi a esse balcão que nos dirigimos assim que chegamos a Memmingen. Claro que não correu tudo como previsto, há sempre uns truques para pagar mais metidos ao barulho, uns 30 euros porque chegamos atrasados (o avião!), mais outro tanto porque íamos pagar com cartão VISA não sei do quê... Mas inflacionando o preço aqui e ali acabamos a pagar cerca de 220 euros pelo carro durante três dias inteiros, com GPS incorporado e fizeram nos um upgrade do utilitário que tínhamos reservado para uma Volvo X60 que estava um mimo. #notbad
Conduzir pela Baviera é muito fácil, as estradas são boas, bem sinalizadas e não apanhamos nenhum trânsito infernal em nenhum ocasião (um pouco de fila para sair do castelo de Neuschwanstein). Estacionar na cidade (Munique) não é difícil e durante a noite não se paga, sendo que que dia o máximo são 6 euros e podem lá ficar o resto do dia. Navegar na cidade com o GPS não tem ciência nenhuma.
Para evitar grandes confusões de possível trânsito de hora de ponta, optamos por ir até Salzburgo no domingo e foi tudo tranquilo, tirando os 120 euros de multa que nos saíram do bolso.
(Alerta: Em hipótese alguma conduzam 100 metros que seja numa estrada com ar de via-rápida na Áustria sem tirar um ticket de portagem primeiro)
Podem comprá-lo nas áreas de serviço ainda na Alemanha ou mesmo na fronteira, teoricamente só precisam dele para andar na autoestrada, e nós como tínhamos intenção de ir pela nacional não o compramos, mas a estrada por onde atravessam a fronteira já é considerada autoestrada, nós saímos dela assim que entrámos na Áustria e mesmo assim tínhamos um polícia à nossa espera, a cobrar os ditos euros e ainda a gozar à brava o prato. 
10:07 / by / 0 Comments

Sem comentários:

Post Top Ad