Post Top Ad

domingo, 3 de janeiro de 2016

Logística de uma viagem ao deserto ou como sobreviver no Atacama - Parte #2

Ainda antes de fazer mala, toda a logística da viagem, tours, transportes, alojamentos, pode ser planeada com antecedência. Uns dias no deserto não é a melhor viajem para fazer de forma completamente autónoma, com um mapa na mão e partir à descoberta.
Não é impossível, li alguns relatos de quem o fez, mas é bastante complicado e implica algumas possíveis complicações totalmente desnecessários.
A cidade-base para explorar o deserto do Atacama é San Pedro de Atacama. Mas chamar cidade a San Pedro é um pouco demais. Só há muito de três coisas em San Pedro, hostels/hoteis/pensões, cafés/restaurantes e agências de turismo. De resto não há praticamente nada, umas duas ruas empedradas (Caracoles e Toconao) e uma pracinha simpática, um pequeno centro de saúde, uma farmácia, um multibanco e uma mercearia. Por isso não se esqueçam de ir precavidos para lá.
E não sobram muitas opções para lá chegar também:
- Há autocarros que chegam do Sul do Chile, mas se virem bem os kms que separam uma ponta do país da outra, provavelmente passarão um dia fechados no bus
- De avião, que foi como eu lá cheguei, até Calama.
Calama é a "cidade-grande" mais próxima de San Pedro, a cerca de 100 km e tem voos diários a partir de várias cidades no Chile. Um aeroporto pequenino mas com tudo o que faz falta.
Chegados a Calama, têm três formas de chegar a San Pedro:
alugar um carro: a melhor opção se pretendem conhecer o deserto de forma autónoma, porque uma vez chegados a San Pedro o máximo que conseguem alugar é uma bicicleta.
de autocarro: existem autocarros a ligar as duas cidades mas não me informei bem sobre os detalhes
de transfer: a opção que escolhemos por ser mais prática, rápida e eficaz, com uma boa relação qualidade-preço. Muitas agências disponibilizam o serviço, assim como alguns hotéis, optei pela TransVip, uma agência especializada em transfers em todo o Chile e que usei também em Santiago. É possível fazer a reserva pela internet com antecedência ou simplesmente comprar o bilhete no guichet do aeroporto. Cerca de uma hora depois estarão em San Pedro.

Uma vez em San Pedro vão precisar de duas coisas:
- Onde ficar alojados: há imensas opções, desde os hosteis mais miseráveis até aos hotéis mais luxuosos com spa e tratamento de luxo. Opções tipo um Ibis desta vida, isso não. Mas há várias casas de hóspedes que apesar de não terem o melhor aspecto de sempre depois revelam-se simpáticas, limpinhas e com tudo o que faz falta. Eu fiquei aqui e vim de lá satisfeita com a relação qualidade/preço, sem 'extras' nenhuns mas com o essencial.
- Uma empresa de turismo que vos ofereça um pacote de tours: eu contratei inicialmente com a IncaNorth através da página deles do facebook, numa promoção que deixou os quatro tours de meio-dia (dois deles com pequeno-almoço e um com aperitivo ao pôr-do-sol) por cerca de 80 euros por pessoa. O que acontece muitas vezes é que quando as agências mais pequenas não conseguem vender todos os lugares que podem encher as carrinhas juntam-nos a um grupo de uma outra empresa que tenha lugares vagos, e foi assim que fiz dois dos tours com a ViveAtacama. Correu tudo bem com as duas agências mas a ViveAtacama e o seu motorista melhor cozinheiro de ovos mexidos do mundo, Freddy, conquistou-nos. Recomendo muito!
Depois de tudo tratado, é só arranjar disposição para curtir (e muito!) a viagem!
18:58 / by / 0 Comments

Sem comentários:

Post Top Ad