Post Top Ad

domingo, 12 de maio de 2013

24h depois...

...o mundo continua a girar.
Quem há uma dia atrás queria fazer uma estátua ao Jesus, hoje quer despedi-lo. Eu volto a dizê-lo: "Por mim deviam renovar JÁ"
Que o Benfica não jogou para ganhar e bláblá... O Benfica fez o que devia ter feito com a condições e possibilidades que tinha. Se o jogo tem tido menos 2 min a esta hora ainda pediam a estátua. Mas o futebol é assim mesmo e era ao Porto que cabia correr atrás do resultado, era ao Porto que apenas a vitória servia, era ao Porto que cabia arriscar tudo. E assim fez, acabou com 5 avançados que tiveram mérito e o tornaram feliz. Estão de parabéns pelo jogo conseguido. Aos meus resta-me dizer "Força Benfica", obrigada por outras alegrias, continuamos aqui a torcer nos momentos maus também, levantem a cabeça e enfrentem os três jogos que ainda faltam.
"Percebo os adeptos do Benfica: tudo parecia ganho, agora tanta coisa parece perdida. Do 80 ao 8 em poucos dias, da vitória na Madeira ao empate com o Estoril, mais o golo de Kelvin.
Acho que é cedo para fazer balanços. Também me parece excessivo de repente encher de críticas e pancada o Benfica e o seu treinador.
O jogo foi equilibrado. O Benfica procurou disfarçar as debilidades (André Almeida bem na esquerda, Ola John de menos) e conseguiu-o quase sempre. A equipa não deu sinais de medo, pelo contrário. Entrou forte e refeita do drama da Luz, frente ao Estoril. Nada a apontar nesse aspeto.
Isto foi o que jogo nos deu, para quemo desejar ver com distanciamento.
Se quisermos entrar numa outra dimensão, mais especulativa, poderemos questionar a forma como Jesus mexeu na equipa. Vale a pena fazer o exercício, ams digo desde já que não me parece justo ir por aí.
A primeira substituição foi a entrada de Roderick. Jesus explicou que tinha os dois médios com amarelo, temeu que Matic ou Enzo pudessem ser expulsos. Roderick é jovem, pouco rodado e pouco utilizado ali. Mas se por acaso a expulsão tivesse aparecido (e podia, o jogo estava com muito contacto), Jesus seria criticado por isso. O resto não tem grande história. Cardozo era óbvio e Aimar uma opção para tentar um passe que isolasse Sálvio, ao mesmo tempo que Enzo tentava tapar Defour, nos últimos minutos sobre a direita.
O F.C. Porto tentou tudo, acabando com Jackson, Liedson, James, Varela e Kelvin (!), ninguém esperaria que o Benfica fizesse o mesmo. Afinal, o empate era um dos resultados que serviam ao Benfica. Honestamente, alguém sentado no banco benfiquista embarcaria num jogo aberto, naquela fase da partida?
Não quero com isto dizer que o Benfica perdeu por acaso, muito menos que não existe mérito portista. É evidente que no lance do 2-1 os «encarnados» não fizeram tudo o que podiam ter feito. Mas acredito ainda mais que é preciso dar mérito a Kelvin e ao risco que o F.C. Porto correu, sabendo que um eventual golo do Benfica permitiria a Jesus festejar em pleno Dragão."

Por Luís Sobral, Maisfutebol
21:53 / by / 0 Comments

Sem comentários:

Post Top Ad